Mercado de Trabalho

“Vai ter com a formiga, ó preguiçoso”

Em Provérbios 6.6 encontramos o conselho: “Vai ter com a formiga, ó preguiçoso; olha para os seus caminhos e sê sábio”. Não foi à toa que Salomão, o homem mais sábio do Antigo Testamento, nos deixou essa preciosidade.

Tenho me interessado muito por esse tema – as formigas constituem uma sociedade interessantíssima, complexa e bem-sucedida, porém, muitas vezes, passam despercebidas para a maioria das pessoas. Mas por que as formigas são consideradas bem-sucedidas? Dentre as características que tornam esse sucesso possível estão: elas não fogem e nem adiam o trabalho, sabem trabalhar em equipe, administram o tempo, trabalham com propósito, são organizadas, têm iniciativa, não desperdiçam recursos e sabem desfrutar o resultado de todo o seu duro trabalho.

Essas qualidades, presentes na natureza das formigas, são desejáveis para quem está no mercado de trabalho. Neste artigo, vamos nos ater ao “não fugir e não adiar o que precisa ser feito”, característica de quem cresce na vida. Infelizmente, muita gente perde grandes oportunidades ou enfrenta dificuldades por causa da procrastinação. Há determinadas tarefas que não temos como fugir. Mas algumas pessoas tentam adiar ao máximo o início da atividade. Procrastinar ou desempenhar uma tarefa com lerdeza é pior, pois gera acúmulo de tarefas e deixa a vida mais complicada. O preguiçoso, geralmente, só cumpre suas tarefas quando pressionado, empurrado. Isso gera desgaste para quem o lidera, porque precisa ficar constantemente monitorando se a missão foi cumprida; e para os companheiros, porque o preguiçoso é também um aproveitador que procura usar alguém que faça o serviço por ele. Tanto para quem lidera, quanto para quem é obrigado a conviver com um preguiçoso, um dia a paciência acaba.

Vejamos a continuação do texto: “A qual, não tendo superior, nem oficial, nem dominador, prepara no verão o seu pão; na sega ajunta o seu mantimento. Ó preguiçoso, até quando ficarás deitado? Quando te levantarás do teu sono? Um pouco de sono, um pouco tosquenejando, um pouco encruzando as mãos, para estar deitado, assim te sobrevirá a tua pobreza como um ladrão, e a tua necessidade, como um homem armado.” Dormir é bom e revigorante; mas aqui está a conclusão para quem prefere dormir demais e não gosta de trabalhar: ficará pobre e passará necessidades. Salomão também fala que “as formigas não são um povo forte, mas no verão preparam a sua comida” (Pv 30.25). Ficar parado, sem fazer nada útil no momento em que deve ser feito, é tolice. Sobre isso, a Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal, publicada pela CPAD, apresenta um quadro excelente, localizado dentro do texto de Provérbios 15, que convido você a meditar. O quadro aponta a diferença entre sábios e tolos.

Durante o período de preparação para os concursos, também encontrei momentos em que a preguiça tentou me abater, me afastar dos meus propósitos, porém resisti e encontrei motivação para estudar e trabalhar. Sabia que, se deixasse a preguiça comandar, eu jamais passaria no concurso. Hoje, tendo logrado êxito profissional, prefiro manter meu trabalho em dia para poder gozar com tranquilidade o tempo livre Nesse passo, a 4ª Vara Federal de Niterói/RJ, onde sou juiz titular, é premiada por produtividade pelo Conselho Nacional de Justiça e tem permanecido em 1º lugar dentre suas congêneres. Aconselho que você não ceda para proteger quem é preguiçoso.

Ceder não causa o bem para essa pessoa. E nem para você. Aconselhe, repreenda, mas não ceda. E se você é o preguiçoso, mude de atitude e atente para o que a Bíblia ensina. O pior preguiçoso para quem você não pode ceder de forma alguma é você mesmo. Aprenda com as formigas. O esforço que você fizer hoje terá recompensas amanhã. Lembre-se: quem semeia, colhe o que planta. Se você não semear, não terá o que colher.

Publicações Mês