Artigos Matéria Principal

Sociedade e Meio ambiente

Foto: Shutterstock

Telma Bueno

“[…] Agora vamos fazer os seres humanos, que serão como nós, que se parecerão conosco. Eles terão poder sobre os peixes, sobre as aves, sobre os animais domésticos e selvagens e sobre os animais que se arrastam pelo chão” (Gn 1.26).

Os cristãos devem se preocupar com as questões ambientais? Muitos, erroneamente, nunca se incomodaram com as condições ambientais do nosso planeta, pois estes afirmam que Jesus em breve virá e iremos morar numa nova terra.

Em todo caso, será esta uma atitude cristã? Jesus voltará e, um dia, vamos morar na nova Jerusalém; mesmo assim, enquanto vivermos neste mundo temos a responsabilidade de cuidar do meio ambiente. Temos visto que as agressões ao meio ambiente são crescentes e pode colocar a vida no planeta em risco.

I – A devastação do planeta

Aquecimento global, enchentes, deslizamentos de terra, seca, tsunamis, grandes nevascas, ondas de calor… O aquecimento global é real e está acontecendo também no Brasil. Este fenômeno é causando pela ação do homem e consegue até mesmo mudar as chuvas de lugares. Apesar de tudo, parece que já estamos nos acostumando com as terríveis catástrofes naturais que assolam o nosso planeta.

Muitos são os desastres naturais que temos visto neste século. O que tem provocado tantas catástrofes naturais? Seria a ira de Deus diante do pecado do homem ou a falta de cuidado com o nosso planeta? Sabemos que Deus é soberano e tem poder sobre as forças da natureza e que nada acontece sem a sua permissão. Mesmo assim, não podemos negar que o homem vem degradando a natureza e causando sérios desequilíbrios ambientais. Governos, ONGs e sociedade civil fazem reuniões para discutir os problemas ambientais do planeta.

Em 1997, alguns países, preocupados em diminuir a emissão de gases tóxicos na atmosfera, assinaram um acordo, o protocolo de Kyoto, a fim de que a emissão desses gases fosse reduzida. De acordo com os cientistas, gases como o dióxido de carbono (emitido pela fumaça dos carros), aprisionam o calor na atmosfera da Terra contribuindo para o aquecimento global. As consequências são mudanças desastrosas no clima do planeta.

Não sabemos quando Jesus voltará; por isso, enquanto habitarmos nesta terra, precisamos nos preocupar com as questões ambientais e cuidar bem da natureza, pois ela revela o Criador.

A Bíblia diz que “tomou o Senhor Deus o homem e o pôs no jardim do Éden para o lavrar e o guardar” (Gn 2.15). Temos aqui a primeira ordem divina para que o homem cuidasse bem do meio ambiente. O lugar que o Criador preparou para Adão habitar era cercado de verde e animais. Tudo que Deus criou na natureza é bom, perfeito e reflete a sua glória: “Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos” (Sl 19.1).

Antes da Queda, Adão vivia em harmonia com a natureza. Ele recebeu de Deus a responsabilidade de cuidar e tratar do seu habitat. A comunhão de Adão com Deus contribuía para que ele também tivesse um relacionamento harmonioso com toda a criação. Depois da Queda, Adão se distanciou de Deus.

O pecado não somente afetou Adão e Eva, como também a natureza. O texto de Gênesis 3.17,18 mostra o surgimento de espinhos e cardos como símbolos de julgamento e desolação. Segundo Stanley Horton, um importante Teólogo, “o primeiro pecado da humanidade abrangeu todos os demais pecados; ganância, destruição, falta de amor, etc”. Toda a criação foi afetada pelo pecado e, segundo a Palavra de Deus, a natureza até hoje geme pela libertação da infidelidade de Adão (Rm 8.20,22).

Talvez você queira perguntar: “Poluir o meio ambiente é pecado?” Sim, pois a degradação ambiental afeta diretamente o ser humano, obra prima da criação de Deus. A devastação é um pecado contra a terra e o seu Criador. Em geral, é resultado do egoísmo e da ganância do homem. A Bíblia afirma que “o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males” (1 Tm 6.10). O homem quer ganhar dinheiro e extrair o máximo possível dos recursos naturais, mas não quer repor nada.

O Brasil tem grandes reservas de recursos minerais como, por exemplo, petróleo e gás. Entretanto, não podemos fazer mau uso destes recursos, pois sabemos que eles são finitos. Os recursos minerais e hídricos devem ser geridos pelo governo e a população com muita sabedoria. Você sabia que apenas 2,5% da água do mundo é doce? Atualmente, muitas espécies de árvores e animais já estão quase que extintos. Todavia, é possível se obter lucro e ter uma economia sustentável.

II- O cuidado de Deus com o meio ambiente já no Antigo Testamento

É bem provável que você pense que o cuidado com o meio ambiente é alvo novo, mas não é. O Criador sempre se preocupou com os seres humanos e com o seu ambiente.
Deus deu aos israelitas, por intermédio de Moisés, algumas leis civis e alguns destes preceitos estavam relacionados ao meio ambiente.

Os israelitas receberiam uma terra boa, que manava leite e mel (Nm 14.8); portanto, eles teriam a responsabilidade de cuidar muito bem dessa terra. Uma das leis que Deus ordenou foi o ano sabático (Lv 25.1-7). Um ano em cada sete a terra era deixada sem cultivo para descansar.

O propósito de Deus era abençoar o homem e evitar a ganância. O Senhor também quis ensinar aos israelitas que os recursos naturais precisavam ser gerenciados com sabedoria. Hoje, as florestas são derrubadas pela ambição desmedida de homens que não temem a Deus. Os desmatamentos causam sérios prejuízos para o meio ambiente, sendo um deles a erosão e o deslizamento de terra, que são provocados pelas chuvas ou correntezas, fazendo muitas pessoas perderem suas vidas, vítimas de deslizamentos.

Em Deuteronômio 20.19, 20, Deus ordenou que os israelitas, ao sitiarem uma cidade e pelejarem contra ela, não cortassem as árvores frutíferas, pois elas servem de mantimento para o homem, além de proteger as fontes de águas e os mananciais dos rios. Naquele tempo, o homem já não tinha autorização para fazer o que bem entendesse.

As árvores que não produzissem frutos podiam ser cortadas, pois haveria equilíbrio. Hoje, as matas nativas estão sendo derrubadas de forma agressiva. As consequências são muitas e todas ruins. As florestas são diretamente responsáveis pelas chuvas. A sua falta pode levar ao processo de desertificação.

O Criador, em sua bondade, também proibiu que seu povo apanhasse uma ninhada inteira de pássaros (Dt 22.6,7). O Senhor não queria que houvesse desequilíbrio, pois os pássaros ajudam a disseminar as sementes.

III- A questão do lixo

No Antigo Testamento, a questão do lixo produzido pelo homem deveria ser vista com muito cuidado. Os israelitas precisavam ter cuidado com a sujeira que eles produziam, já que não havia banheiros naquele tempo (Dt 23.13). Muitas doenças que atualmente assolam algumas regiões do planeta são o resultado da falta de higiene, pois o esgoto e o lixo não recebem nenhum tipo de tratamento.

Segundo Norman Geisler, em sua obra Ética Cristã: Alternativas e Questões Contemporâneas “o lixo afeta o saneamento e o saneamento afeta a saúde de pessoas. Os esgotos afetam rios e lagos, e a água poluída afeta a saúde e o prazer de pessoas.” O lixo que é jogado nas ruas vai parar nos mares, mesmo você estando a quilômetros de distância do litoral; depois, atinge os rios e os lençóis freáticos.

O lixo também vai parar nas galerias de águas, entupindo os bueiros e causando enchentes. Sendo assim, o lixo deve ser jogado nos latões de lixo e nunca na rua ou qualquer outro local.

IV-Amigo de Deus e da natureza

Abraão, o amigo de Deus, é exemplo de homem que amava a natureza e zelava por ela. Quando já era um ancião, logo depois do nascimento de seu filho, ele plantou um bosque: “E plantou um bosque em Berseba e invocou lá o nome do Senhor, Deus eterno” (Gn 21.33).

Certamente, ele não veria aquelas árvores crescerem e frutificarem, mas ele deixaria uma importante herança para os seus descendentes. Se Jesus não voltar logo, como a próxima geração (seus futuros filhos e seus netos) verão o nosso planeta?

Somos cidadãos do céu (Fp 3.20). Nossa pátria é celestial, embora isso nunca será desculpa para não cuidarmos do meio ambiente. Algumas ações, ainda que pareçam pequenas, podem ser tomadas por nós em defesa da vida em nosso planeta, observe: plantar árvores, recolher e reciclar o lixo que você produz, regar as plantas de sua casa, não deixar a bica aberta enquanto escova os dentes, não jogar papel no chão e evitar ao máximo utilizar materiais plásticos. São atitudes simples que todos podem ter e que fazem a diferença.

Está chegando o dia em que Deus fará uma grande reforma no planeta. A natureza será modificada (2 Pe 3.10,12). O pecado deixará de existir para sempre (Ap 21.27), mas até que isso aconteça, vamos cuidar da obra das mãos de Deus: a Terra!

Telma Bueno é bacharel em teologia, pedagoga, jornalista, mestranda em ciência da educação e editora do setor de educação cristã da CPAD.

Sobre o autor

Roberta Marassi

Roberta Marassi é jornalista, pós-graduada em telejornalismo, editora da revista GeraçãoJC, membro da AD.

Comentário

Clique aqui para postar comentários