Destaque Matéria Principal

Jovens do Distrito Federal realizam visitas evangelísticas

Por Higor Viana

Sair das quatro paredes do templo. Nos dias que antecedem a segunda vinda de Cristo, esse clamor tem sido cada vez mais necessário, chegando a ser até um desafio. Principalmente por causa da necessidade de combinar a pregação da palavra com ações de ajuda a quem mais necessita. Foi essa a ideia da União de Mocidades da Assembleia de Deus de Brasília (UMADEB) quando deu início ao projeto Mais Que Palavras.

A proposta do projeto, coordenado pelo departamento, é exatamente levar a Palavra do Senhor às pessoas que mais necessitam de amparo. O objetivo é estar em locais que recebem pessoas, por vezes, esquecidas pela grande parte da sociedade.

As primeiras visitas foram realizadas entre os dias 13 e 15 de abril. Os voluntários foram divididos em vários subgrupos. Cada um deles foi responsável por realizar cultos e doações em um local específico. Foram contemplados: casas de recuperação, asilos, unidades prisionais e a hemoclínica. Nessa série de ações, 28 pessoas decidiram por aceitar Jesus como Senhor e salvador.

Nas palavras do coordenador-geral da UMADEB, evangelista Denis Alves, o objetivo da iniciativa é despertar e desenvolver nos jovens o amor a Deus através de ações em benefício ao seu próximo. “Queremos estabelecer relações de solidariedade, partilha, ajuda aos mais pobres e necessitados, visitas aos presos, idosos e abandonados. E, acima de tudo, evangelizando, levando a Palavra de vida e restauração à todos” resumiu Denis.

Um dos locais visitados foi a Unidade de Acolhimento para Mulheres (UNAM), também chamada “Casa Flor”, em Taguatinga Sul. A visita esteve sob a responsabilidade da secretária Tatiane Oliveira. Ela e outras jovens realizaram um culto, com louvores e pregação da Palavra. As mulheres abrigadas na casa participaram deste momento. Após o culto, foi servido lanche e as mulheres também ganharam lembrancinhas.

Para Tatiane, a experiência no abrigo foi diferenciada. Ela afirma que pôde sentir a presença de Deus durante aquele momento. “A carência que aquelas meninas tem, de afeto, atenção, amor, abraço, me tocou demais. A alegria delas recebendo lembrancinhas até simples, para mim, foi marcante”, disse. Ela pretende retornar ao abrigo, pois criou um vínculo com as meninas.

A equipe da UMADEB também esteve no Centro de Internação Granja das Oliveiras (CIAGO), no Recanto das Emas. O centro recebe menores infratores no Distrito Federal. A pedagoga Priscila Ferreira esteve na unidade. Ela relata que os jovens internos estavam sedentos pela Palavra. “Lá eu vi olhares mais atenciosos e choros mais sinceros do que vemos nos nossos cultos”, comentou.

Ainda no relato de Priscila, os adolescentes pediam cópias utilizadas em ensaios do conjunto, com letras de hinos escritas. “Essas coisas a gente tem tão fácil e, às vezes não valorizamos”, contou. Segundo ela, os jovens se apegam às mensagens contidas nos hinos como uma forma de conforto em momentos mais difíceis. “Essas memórias jamais sairão da minha mente”, completa.

Além disso, outra parte dos jovens se dirigiu até uma hemoclínica no Plano Piloto. O grupo foi até o centro hospitalar realizar doação de sangue. Rodrigo Custódio é um doador assíduo, não só de sangue, mas também de plaquetas e está cadastrado como doador de medula óssea. Custódio tem a ciência de que o sangue de um único doador pode salvar até três vidas. “Saber que estou ajudando pessoas com doação de sangue para mim é mágico. Uma felicidade inexplicável”, conta.

Recentemente, Rodrigo fez um curso no Hemocentro de Brasília para ser multiplicador. Ou seja, instruir e incentivar outras pessoas a também fazer doações. Ele já levou três grupos de pessoas para doar sangue, incluindo a ação no Mais Que Palavras. Nas outras duas vezes, a mocidade da igreja onde congrega também prestou o ato de solidariedade sob sua supervisão. “Não pretendo parar por aí”, revela.

De acordo com a liderança da UMADEB, o projeto Mais Que Palavras será tocado durante todo o ano de 2018, com essas e outras ações.

Sobre o autor

Roberta Marassi

Roberta Marassi é jornalista, pós-graduada em telejornalismo, editora da revista GeraçãoJC, membro da AD.

Add Comentário

Clique aqui para postar comentários