Artigos

Drama de uma viagem

Internet

Por: Thiago S. Panzariello

Em Atos 13 e 14, Paulo, Barnabé e Marcos partem em viagem missionária, a primeira de Paulo. Partiram de Selêucia, porto de Antioquia, cruzaram o mar com destino a Chipre. Pregaram em Salamina e Pafos. Adentraram o continente e chegaram a Antioquia da Pisídia. Quando a situação se tornou perigosa, prosseguiram e chegaram a Icônio. Com suas vidas ameaçadas seguiram a Listra.

Depois de ter sofrido um ataque muito perigoso passaram a Derbe.
O relatório da viagem, foi positivo. Em Chipre, houve sinais, Elimas, o encantador fica cego por tentar atrapalhar a pregação do evangelho, seguida da conversão do procônsul Sérgio Paulo (At 13. 6-12). Em Antioquia da Psídia, Paulo Proferiu tal discurso na Sinagoga que foi aclamado pelos gentios para que retornasse no sábado seguinte (At 14.42). Retornou e muitos creram em sua pregação, mas os judeus incitaram uma perseguição a Paulo e Barnabé que foram expulsos da cidade.

Mas os momentos de maiores tensões foram sem duvida em Icônio, Listra e Derbe. Em Icônio, uma grande multidão de judeus e gregos creram e muitos sinais e prodígios foram realizados. Mas alguns judeus dividiram a multidão, de modo que os apóstolos fugiram da cidade para não serem apedrejados.

Em Listra um coxo foi curado, e o povo daquela cidade, idolatrou a Paulo e Barnabé de tal maneira que buscaram animais para sacrificar diante deles. Em seguida, o momento de maior tensão da viajem, diz o texto: “Sobrevieram, porém, uns judeus de Antioquia e Icônio, que tendo, convencido a multidão, apedrejaram a Paulo e o arrastaram para fora da cidade, cuidando que estava morto.” (At 14.19)

Paulo pregou o evangelho, fez a vontade de Deus, sinais o seguiram, vidas se renderam a Cristo. Mas isto não impediu que ferrenha perseguição o alcançasse, de tal modo que quase foi morto por sua missão. Talvez, um pensamento mais racional, fosse retornar direto para Antioquia, de onde tinha partido e informar o relatório da viajem aos demais apóstolos.

Pois qual a mente sã retornaria a mesma cidade onde fora apedrejado e quase morto? Mas Paulo “vivia por fé, não por vista” e no dia seguinte, isto mesmo, no dia seguinte retornou para anunciar o evangelho em Derbe, Listra, Icônio e Antioquia da Pisídia.

Paulo e Barnabé conseguiram forças em Deus, para continuar a jornada e retornar aos locais que lhe causaram, vergonha, dor e perigo de quase morte. Isto evidencia que a mensagem do evangelho, nos ensina a encarar dramas, fracassos, desafios da vida bem como contemplar a eternidade.

Thiago S. Panzariello, graduado em teologia pela Faecad, presbítero na Assembleia de Deus ministério Acrescentando Vidas (RJ).

Revista GeraçãoJC, edição 119.

Sobre o autor

Roberta Marassi

Roberta Marassi é jornalista, pós-graduada em telejornalismo, editora da revista GeraçãoJC, membro da AD.

Add Comentário

Clique aqui para postar comentários

Publicações Mês