Ajuda do governo não chega a vítimas de desastres na Indonésia – Revista GeraçãoJC
É Notícia Matéria Principal

Ajuda do governo não chega a vítimas de desastres na Indonésia

Três semanas após o terremoto e tsunami que atingiram as cidades de Palu e Donggala, na ilha de Silawesi, na Indonésia, a maioria das vítimas ainda tem dificuldades para receber ajuda emergencial do governo. De acordo com colaboradores da Portas Abertas no país, os suprimentos estão estocados no escritório militar regional (KOREM). Vítimas disseram que eles têm que ir até o escritório e mostrar documento de identidade para receber a ajuda, mas precisam de transporte para chegar até lá. O problema é que têm que ficar na fila por horas para conseguir combustível.

Funcionários do KOREM disseram que não receberam nenhuma orientação para distribuir a ajuda. O vice-presidente, Yusuf Kalla, assegurou que o socorro vai continuar a chegar: “Não há necessidade de se preocupar com os suprimentos, só precisamos organizar a distribuição”, disse. Apenas 20% das subestações de energia elétrica danificadas foram reparadas, então a população das áreas afetadas teve que apelar a geradores de energia portáteis.

Nossa equipe encontrou um grupo de cristãos entre as vítimas do terremoto e informam que uma das áreas mais devastadas tem uma população cristã. “Percebemos que essa parte foi negligenciada. As vítimas não receberam nenhuma ajuda e ainda há corpos a serem removidos das casas que desmoronaram”, disseram. A equipe distribuiu cabanas, cobertores e colchonetes para nove igrejas na região das montanhas Kulawi, a cerca de 50Km de Palu. Cada igreja é formada por 50 a 70 famílias. Também foram distribuídos 250 pacotes de comida.

Pedidos de oração

  • Ore para que as provisões cheguem aos desabrigados e de forma especial aos cristãos, que são negligenciados na distribuição de ajuda.
  • Interceda para que Deus guarde a saúde das vítimas nesse tempo sem água, remédios e abrigo.
  • Clame para que a presença do Senhor os conforte nos dias vindouros, já que é comum que adultos e crianças tenham transtorno de estresse pós-trauma.
  • Peça que mais equipes de ajuda se envolvam na ajuda e ore por aqueles que já estão se mobilizando.

Fonte: Portas Abertas

Sobre o autor

Roberta Marassi

Roberta Marassi é jornalista, pós-graduada em telejornalismo, editora da revista GeraçãoJC, membro da AD.

Add Comentário

Clique aqui para postar comentários