Matéria Principal Tira-Dúvida

A força de Sansão estava nos cabelos compridos?

Ilustração: Fagner Machado

Por Eduardo Araújo

“Sansão achou uma queixada fresca de um jumento, estendeu a sua mão, e tomou-a, e feriu com ela mil homens” (Jz 15.15).

O registro bíblico acima descrito faz parte da carreira de um dos personagens mais controversos e impressionantes do tumultuado período dos juízes. Por essa época, o povo israelita ainda não era governado por um rei. A monarquia ainda estava longe e foi concretizada quando Saul foi ungido rei pelo último juiz, o profeta Samuel (1 Sm 10.1).

Mas e quanto a força descomunal de Sansão? Era proveniente de seus longos cabelos? Muito tem se debatido sobre o assunto ao longo dos séculos e as pessoas costumam associar a sua força ao comprimento dos cabelos. Mas a Bíblia Sagrada indica outro caminho para se conseguir a resposta.

O jovem Sansão pertencia a uma casta religiosa israelita conhecida por nazireus (Jz 13.7; 16.17), de modo que ele foi instruído a se comportar como um homem totalmente dedicado ao Senhor, isto significa que ele teria de observar determinadas regras de conduta de um nazireu (Lv 6), de modo que este juiz de Israel deveria abster-se de vinho, não poderia comer uvas, evitaria contato com cadáveres e jamais cortar os cabelos. Esses mandamentos eram válidos enquanto durasse o voto de nazireado da pessoa, mas no caso de Sansão, consagrado desde o ventre até o último instante de vida, essas regras deveriam ser obedecidas para sempre (Jz 13.7).

Mas ao longo da narrativa bíblica, é possível identificar o desleixo do nazireu quanto a manutenção de seus votos que lhe conferiam a sua extraordinária força: o juiz de Israel tocou na carcaça do leão que matara (Jz 14.8,9), bebeu vinho em sua festa de noivado em Timna (o comentarista Russell Normal Champlin em sua Enciclopédia de Bíblia e Teologia afirma que Sansão bebeu vinho, apesar de o texto sagrado não dizer que ele fez isto, mas em se tratando de alguém que não se preocupava em obedecer a Deus …. a narrativa encontra-se em Jz 14.10-20), e finalmente, o último dos votos que ainda mantinha o seu nazireado, a manutenção de sua cabeleira, foi rompido no momento em que foi cortado pelos filisteus (Jz 16.19-21) A vida de Sansão foi destruída por descuidar de sua aliança com o Senhor Deus. Este impressionante homem teve o privilégio de ser escolhido para libertar seu povo do domínio filisteu, mas procurou apenas satisfazer seus desejos no que resultou em uma espiritualidade fraca que o conduziu ao pecado e à morte (Jz 16.30).

Eduardo Araújo é presbítero, teólogo, pós-graduado em Docência do Ensino Superior, conferencista, editor da revista Obreiro Aprovado e redator do jornal Mensageiro da Paz

Sobre o autor

Roberta Marassi

Roberta Marassi é jornalista, pós-graduada em telejornalismo, editora da revista GeraçãoJC, membro da AD.

Add Comentário

Clique aqui para postar comentários